E-mail Marketing ainda funciona?

O e-mail marketing é um canal relativamente antigo quando comparado às mídias sociais. Com a popularização do uso de plataformas como Facebook, Instagram e WhatsApp, é comum ouvirmos profissionais reclamando de sua eficiência e até decretando o seu fim.

Todavia, trata-se de uma estratégia de eficácia comprovada e que pode ajudar as empresas a captar e até mesmo fidelizar clientes. Pensando nisso, preparamos esse texto para explicar tudo o que você precisa saber sobre e-mail marketing. Acompanhe!

O que mudou no e-mail marketing?

Não há dúvidas que o uso excessivo por parte de alguns anunciantes gerou certa restrição ao modelo de comunicação. Antigamente, era comum a compra de base de e-mails e envios massivos para uma lista enorme de usuários — que nem sequer haviam tido qualquer interação com a sua empresa.

Nesse contexto, os próprios servidores de e-mail passaram a desenvolver tecnologias que cada vez mais bloqueiam os conteúdos irrelevantes para seus clientes. Em 2009, especialistas do setor desenvolveram o Código de Autorregulamentação do e-mail marketing, definindo boas práticas e éticas pertinentes para os envios.

Com as mudanças nas tecnologias e regulamentos, o e-mail teve seu papel modificado dentro do planejamento de marketing. Ele deixou de ser um meio de comunicação em massa e passou a atuar como ferramenta de relacionamento com usuários já cadastrados.

Existem dados atualizados sobre o canal?

Acreditamos que o e-mail marketing está mais vivo do que nunca, sendo fundamental para o desenvolvimento de uma estratégia digital. O grande mito de que o canal não funciona se deve às métricas bem baixas obtidas por empresas que não souberam utilizar a ferramenta corretamente.

Se você é um desses profissionais que ainda tem dúvidas sobre a eficácia do e-mail marketing, confira abaixo as estatísticas compiladas pelo site Impulso Digital:

  • o canal pode aumentar as vendas em 138%;
  • 68% dos profissionais que trabalham com marketing consideram o e-mail extremamente importante para os negócios;
  • 80% dos usuários de internet leem e-mails em dispositivos móveis;
  • e-mails são 40 vezes mais eficientes para a aquisição de clientes do que Facebook e Twitter juntos;
  • ao final de 2017, existirão 4,8 bilhões de contas de e-mail no planeta.

Como o e-mail marketing funciona?

Para entender o potencial que o e-mail marketing oferece, é fundamental conhecer o ciclo de conversão de um consumidor online.

Segundo a metodologia do Marketing de Conteúdo, o usuário passa por um funil de considerações até chegar ao cumprimento do objetivo desejado pela empresa, seja esse uma compra, uma solicitação de orçamento ou outro tipo de interação.

O funil é divido em 3 principais etapas de relacionamento com a empresa. São elas:

  1. topo: usuários que ainda não conhecem a empresa e não estão procurando nada sobre seus serviços prestados, mas já se interessam pelo tema abordado;
  2. meio: público que está considerando aprender ou testar novas soluções sobre o assunto da sua empresa;
  3. fundo: potenciais consumidores que já estão interessados em adquirir um produto ou serviço e estão à procura de mais informações para a aquisição.

A lógica do funil garante que o planejamento de marketing de uma empresa considere as estratégias necessárias para atingir o público em todas essas etapas, e cada parte do funil pode ser trabalhada com diversas ações e canais.

Antigamente, o e-mail marketing atuava para atrair usuários novos presentes no topo. Hoje, o meio é fundamental para as duas etapas seguintes que envolvem relacionamento e conversão.

Vamos detalhar, a seguir, alguns motivos que provam a eficácia da ferramenta para a comunicação, propagação da marca, engajamento, retenção de clientes e aumento das vendas:

Comunicação segmentada

Sua base de contatos pode ser segmentada em sexo, estado civil, aniversário, profissão, empresa etc. Com dados relevantes sobre seu público-alvo, é possível elaborar campanhas mais assertivas e voltadas a um determinado grupo de pessoas.

Os e-mails também podem ser personalizados de acordo com o comportamento do usuário no próprio site. As ferramentas de automação de marketing auxiliam na criação e gerenciamento dessas réguas de relacionamento com o cliente, visando engajá-lo ao seu conteúdo.

Desenvolver estratégias para grupos específicos, segmentados por características, desejos e necessidades garante o fluxo de nutrição desses usuários. Trabalhar a construção de credibilidade e fidelidade com um usuário é, dessa forma, fundamental para alcançar toda a potencialidade do e-mail marketing.

Crescimento do mercado mobile

Segundo pesquisas, em 2015, a penetração de smartphones no mercado brasileiro ultrapassou 90%. Nesse mesmo período, o número de acessos à internet por meio dos aparelhos móveis foi maior do que em desktops.

Um dos resultados desse crescimento foi o aumento da abertura de e-mails pelos usuários. A possibilidade de acessar a caixa de entrada de qualquer local aumentou a agilidade para o consumo desse tipo de conteúdo.

Aumento das compras na internet

Os consumidores estão cada vez mais exigentes e atentos na hora de comprar. De acordo com um estudo do SPC Brasil, 90% das pessoas com acesso à web realizam pesquisas na internet antes de fechar um negócio.

Diante desse panorama, as empresas estão utilizando o e-mail marketing como uma ferramenta estratégica de estímulo de compra, uma vez que os envios podem ser utilizados para a divulgação de ofertas e oportunidades da loja virtual.

Também é possível utilizar o canal para se comunicar com usuários que interagiram recentemente no site, oferecendo descontos para aqueles que abandonaram o carrinho de compras ou pesquisaram por determinados produtos dentro do e-commerce, por exemplo.

Mensuração de resultados

As plataformas de envio de e-mail marketing costumam ter o custo mais baixo que as de outras mídias online tradicionais. Os valores costumam levar em consideração a quantidade de contatos presente na lista e o volume de envios realizados por mês.

Qualquer investimento digital deve ser mensurado por meio de ferramentas como o Google Analytics — o que não poderia ser diferente com as campanhas de e-mail marketing. Os links presentes no material de divulgação devem ser tagueados para que, dessa forma, seja possível identificar dentro do site o volume de acessos recebidos e a taxa de conversão.

As próprias ferramentas de disparo também costumam disponibilizar métricas relevantes para o acompanhamento de resultados, sendo possível analisar dados de recebimento, abertura e cliques.

Uma estratégia interessante para impulsionar a performance dos envios é realizar testes A x B, comparando diferentes tipos de assuntos e formatos de conteúdo dos e-mails.

Como potencializar os resultados do e-mail marketing?

Para atingir resultados relevantes com o e-mail marketing, é preciso investir em ações para construir uma base qualificada. A principal alternativa é trabalhar com Marketing de Conteúdo e conquistar interessados em assinar sua newsletter ou acessar publicações exclusivas a usuários cadastrados, como videoaulas, webinars ou e-books.

Conforme, a regulamentação dos envios de e-mail marketing exige que práticas éticas sejam consideradas no seu planejamento. Sendo assim, apenas dispare conteúdo por esse canal para usuários que ofereceram seus dados para a empresa e concordaram em receber esse tipo de comunicação — o chamado opt-in.

Além disso, garanta que o e-mail enviado seja relevante para a etapa do funil de consideração em que o usuário se encontra. Personalize a comunicação de acordo com as informações que já possui desse potencial cliente.

Por fim, é fundamental que as empresas ofereçam ao público conteúdo relevante e não apenas estímulos para ações de venda, afinal, um público fidelizado é aquele que enxerga valor em suas ações, e não apenas as vê como uma simples relação comercial.

E você, como usa o e-mail marketing em sua estratégia digital? Deixe seu comentário e compartilhe conosco suas experiências!

Anúncio no Snapchat: o que vem por aí?

Com mais de 200 milhões de usuários ativos, o Snapchat se tornou uma “febre” entre os mais jovens. São 8.796 fotos compartilhadas por segundo!

A faixa etária de usuários está mudando. Agora, 38% dos usuários têm mais de 25 anos, o que acaba com aquela ideia de que o aplicativo tem como público-alvo apenas adolescentes.

Essa mudança contribuiu para uma mudança na plataforma: a possibilidade de fazer um anúncio no Snapchat.