Afinal, como fazer remarketing para aumentar os resultados?

Está cada vez mais difícil alavancar os resultados da sua empresa? Então, é necessário rever os seus processos e implementar algumas novas ideias. Você sabe como fazer remarketing? Essa é uma forma bastante inovadora de impactar o seu público com uma publicidade altamente direcionada que é capaz de surpreendê-lo positivamente.

É uma maneira de atingir uma mesma pessoa com um conteúdo direcionado após ela realizar uma determinada ação em seu site. Por exemplo, se alguém foi até o seu e-commerce, saiu sem fazer uma compra e deixou o carrinho vazio, é possível exibir ofertas relacionadas a ela com um post patrocinado no Facebook ou via e-mail.

Existem várias maneiras de aproveitar os benefícios do remarketing. Para obter bons resultados, você precisa se planejar de forma bem minuciosa. Afinal, é necessário prever uma série de situações em que é possível impactar seu público e comprovar a eficácia dessas decisões ao se apoiar em suas métricas preliminares.

Veja a seguir as melhores maneiras de fazer remarketing e aumentar os resultados da sua empresa! 

Rede de Display do Google

Uma das opções de segmentação da modalidade Rede de Display do Google AdWords consiste em atingir uma audiência de remarketing. Com isso, você pode exibir anúncios focados em ofertas relacionadas às vistas pelo usuário ao identificá-lo por meio de um “pixel”, levando em conta os interesses dele e o timing da ação. As suas chances de sucesso aumentam consideravelmente ao ter o seu banner publicitário aparecendo em sites que seu potencial cliente já visita.

Links patrocinados do Google

Patrocinar links de forma estratégica no Google AdWords — para ser evidenciado nas pesquisas do buscador do Google — é outra ferramenta importante para quem busca como fazer remarketing. Nesse caso, como você anunciará para termos relacionados ao seu produto ou serviço, as chances de identificação com o público aumentam consideravelmente. É um jeito de atingir uma audiência altamente qualificada, sem contar o apelo extrainerente de uma campanha de remarketing.

Facebook Ads

Parte de como fazer remarketing envolve utilizar os canais que podem trazer melhor retorno a você. Se o seu público está no Facebook, então, a sua empresa também precisa ir para lá. Felizmente, é uma plataforma que suporta o remarketing em sua área de mídia. Por meio de um “pixel” semelhante ao do Google, você consegue identificar seu público enquanto ele está fora da rede social e, depois, impactá-lo com anúncios altamente segmentados quando estão no Facebook.

Instagram Ads

Desde que foi comprado pelo Facebook, o Instagram passou a aproveitar boa parte das possibilidades de anúncios que a empresa de Mark Zuckerberg possui. Usando o mesmo motor do Facebook Ads, você pode impactar sua audiência com o remarketing no Instagram. Isso permite que você aproveite o mesmo “pixel” para identificar as pessoas certas quando passam pelo seu site e, depois, utilizam o Instagram.

Cada uma dessas modalidades de como fazer remarketing possibilita a sua marca atingir o público exato com anúncios inteligentes e direcionados. Com cada vez mais concorrência nessa área, vencem as empresas que conseguem oferecer aos seus potenciais clientes as ofertas que estão procurando. Deixe de investir em iniciativas que não dão retorno e considere os benefícios do remarketing para o seu próximo planejamento.

Quer ficar por dentro de mais possibilidades estratégicas como essas? Então siga os nossos perfis nas redes sociais: Facebook, InstagramLinkedIn e Twitter!

Growth Hacking: por que a sua empresa precisa disso?

Com o sucesso cada vez mais constante de startups, ferramentas e estratégias do meio ficaram famosas por ajudarem a organizar, escalar e proporcionar crescimento para empresas. O Growth Hacking é um desses casos. Assim como outras técnicas empreendedoras, ela é embasada em testes e métricas. Inovadora, é o lado do marketing feito com experimentos em caráter científico.

Nossa equipe decidiu apresentar essa técnica para você, por ser o segredo para alcançar um crescimento exponencial para seu negócio. Construída em um esquema semelhante ao funil de vendas, essa ferramenta pode ser considerada como uma evolução do inbound marketing, mantendo o foco na persona, ou público-alvo, adicionando automação em testes e psicologia do consumidor. Confira!

Como surgiu o Growth Hacking?

Visto também como uma mentalidade, o Growth Hacking, ou Growth Marketing, surgiu em 2010, quando Sean Ellis decidiu nomear sua forma de fazer com que as startups em que ele atuava crescessem exponencialmente. A técnica consiste em descobrir o comportamento da persona, dividindo o processo em 5 etapas que são: aquisição, ativação, retenção, receita e indicação.

Com cases de sucesso em empresas como LogMeIn e Dropbox, Sean percebeu que as organizações paravam de crescer quando ele não atuava mais nelas. Por isso, compartilhou a metodologia, surgindo os Growth Hackers. Eles devem identificar qual das 5 etapas precisa ser estimulada para nutrir o crescimento global, implementando testes, trabalhando com métricas e descobrindo atalhos.

Quais são as vantagens de usar essa técnica na sua empresa?

Sem uma tradução para o português, Growth Hacking significa algo como atalho para o crescimento. Ele é fundamental em um cenário de mudanças, conduzindo soluções de acordo com cada situação que surge. Conheça os principais benefícios de adotar essa estratégia:

  • inovação — enquanto a concorrência se atualiza, se preocupando apenas em ter presença digital, sua empresa se destaca com esse conceito novo no mercado;

  • crescimento — garanta um escaneamento preciso, sabendo em que estágio atuar e como seu público reage, conquistando um desenvolvimento contínuo;

  • aplicabilidade — descubra qual é a ideia que sua equipe é capaz de executar com excelência, quando é necessário capacitar o time e em quais conhecimentos;

  • flexibilidade — desenhe uma solução realista para seu negócio, adaptada para seus objetivos;

  • melhor retorno sobre investimento (ROI) — aumente seu ROI, aplicando seu orçamento em ações previamente modeladas.

O que fazer para aplicar Growth Hacking?

Fizemos um passo a passo para que você comece a usar essa ferramenta:

  1. confira sobre a qualidade do seu serviço, descubra se os clientes têm alguma sugestão de melhoria e quais objeções de compra poderiam se transformar em soluções;

  2. pesquise seu segmento de mercado e veja estudos de caso para a situação que você pretende hackear;

  3. defina quem é a persona para o produto ou serviço, quais são suas dores e desejos, quais meios de comunicação normalmente usa e tipo de linguagem é mais próximo dela;

  4. faça um brainstorm (tempestade de ideias), deixe que todas as propostas, por mais absurdas que pareçam, fluam livremente e lembre-se de anotar todas;

  5. selecione as melhores ideias, com parâmetros como capacidade de executar a tarefa, compatibilidade com o orçamento e possibilidade de sucesso do plano;

  6. questione como fazer para essa ação ser um sucesso, como poderá ser medida, qual é a meta esperada e ferramentas e pessoas necessárias para a execução;

  7. pense em formas de replicação da ideia, estimulando compartilhamentos, tornando a ação viral;

  8. faça seus experimentos, usando testes A/B;

  9. analise os resultados, descobrindo se a hipótese alcançou os objetivos e como poderia performar melhor.

Viu como o Growth Hacking aponta o caminho mais rápido para sua marca se consolidar no mercado, crescendo exponencialmente, conquistando o público-alvo e convertendo clientes em promotores? Agora, que sua empresa está pronta para elevar a atuação no seu nicho, descubra o que são influenciadores digitais e como usar esse hack. Aumente a visibilidade e confiança do seu negócio!

4 mitos do marketing digital que você não deve seguir

A comunicação on-line é uma realidade para muitas empresas e a cada ano ganha mais espaço no mundo corporativo. Porém, com o avanço das técnicas e o surgimento de novas estratégias, cresce o número de mitos do marketing digital, o que pode acabar prejudicando o trabalho de profissionais do setor.

Isso acontece, pois estratégias interessantes e que podem gerar bons resultados são deixadas de lado devido a informações sem fundamentos espalhados pela internet. Dessa forma, é preciso conhecer bastante a comunicação digital para não cair em uma dessas “pegadinhas” e atrapalhar suas ações de marketing.

Neste artigo, separamos quatro dos principais mitos do marketing digital. Ficou curioso? Então não deixe de ler os próximos parágrafos e não seja enganado por boatos!

1. SEO não funciona mais

As técnicas de Search Engine Optimization (SEO) não dão mais resultado. Já faz alguns anos que esse mito vem sendo espalhado, mas ele não condiz com a verdade. Nas últimas décadas, as técnicas de SEO mudaram bastante em virtude do comportamento do usuário e das atualizações de algoritmos dos motores de busca.

Atualmente, recorrer a comentários de spam, palavras-chave amontoadas em textos e flooders aumenta as chances de receber punição de plataformas como Google, o que, consequentemente, não gera os resultados esperados. Por outro lado, um bom trabalho de SEO ajuda a crescer o tráfego de forma orgânica e a manter o padrão de qualidade do conteúdo.

2. Link building chegou ao fim

Como discutimos no tópico anterior, as atualizações no algoritmo do Google mudaram a forma como se desenvolve o marketing para motores de busca. As famosas técnicas de black hat estão caindo em desuso e ficando para trás, o que levou muitas pessoas a acreditarem que link building também ficou sem serventia.

Elas estão enganadas, pois a forma de se fazer link building também mudou. Se antes os comentários spam eram usados para conseguir links externos, agora é preciso trabalhar bastante para isso: é necessário recorrer a get posts, co-marketing, entre outras estratégias para contar com linkagem de qualidade.

3. Mobile não gera conversões

De acordo com a Fundação Getúlio Varga de São Paulo (FGV-SP), o Brasil fechou o ano de 2017 com cerca de 208 milhões de smartphones. Esse número deve seguir crescendo nos próximos anos. Dessa forma, afirmar que o mobile não gera conversões é bastante arriscado e pode limitar a atuação do marketing.

Tanto que as tecnologias responsivas – hoje essenciais para qualquer site – têm crescido, assim como as estratégias de comunicação voltadas para smartphones também têm ganhado mais espaço. Dessa forma, para gerar mais conversões mobile, é preciso que as empresas se adaptem à nova realidade do mercado.

4. E-mail marketing está morto

Esse, provavelmente, é um dos mitos mais antigos do marketing digital. A evolução dos chats e das plataformas para troca de mensagens, o surgimento das mídias sociais, entre outros avanços, já foram colocados como sucessores do e-mail. Porém, as “cartas eletrônicas” estão bem enraizadas em nossa rotina e seguem forte.

Ao contrário do que é disseminado por aí, o e-mail marketing ainda é uma das principais estratégias de comunicação para uma empresa. Uma campanha bem desenvolvida traz bons resultados e impacta tanto nas vendas quanto na fidelização de clientes.

Gostou deste artigo sobre os mitos do marketing digital? Então não deixe de assinar a nossa newsletter e receber outros conteúdos interessantes!

Automação de marketing: como implementar na sua empresa

Cada vez mais a concorrência aumenta e as estratégias se tornam mais sofisticadas. Se o objetivo é se dar bem nesse novo cenário, você precisa contar com as melhores soluções em várias áreas, inclusive no marketing.

Para melhorar os seus resultados, é necessário saber o que é automação de marketing e como começar a trabalhar com essa tecnologia em sua empresa. Continue a leitura deste post e explicaremos! 

O que é automação de marketing?

Trata-se de um método para deixar diversas atividades do dia a dia de um departamento de marketing no controle de máquinas e algoritmos. Esses softwares são capazes de gerar entregas de qualidade porque produzem mais que uma pessoa e com maior velocidade. Isso faz com que a equipe ganhe mais tempo para se dedicar a outras tarefas e obtenha resultados superiores.

Para trazer os benefícios esperados, a automação de marketing precisa ser bem implementada. Isso significa empregar os esforços adequados para que os seus processos sejam verdadeiramente adaptados e tudo esteja integrado aos objetivos da sua marca.

Quais as suas vantagens?

A automação de marketing consiste em deixar a execução de tarefas desse departamento sob o controle de softwares inteligentes. Assim como existem diversos canais de atuação nessa área, também é possível atuar com automação na maioria dessas frentes. Você pode automatizar esforços envolvendo e-mail marketing, redes sociais, anúncios pagos, entre outros.

Em muitos casos, a automação de marketing é capaz até de conduzir esforços que seriam impossíveis de serem feitos por pessoas. Por exemplo, enviar e-mails contextualizados baseados em ações dos usuários em seu site é uma possibilidade impensável de se fazer sem a ajuda de um software como esse.

Outro benefício de adotar a automação de marketing em sua empresa se refere a otimizar o tempo da sua equipe. Os seus profissionais passam a ter mais tempo para se concentrarem em outras áreas que realmente requerem sua atenção. Não faz sentido perder tempo no dia a dia com tarefas manuais que poderiam ser automáticas.

Como usar a automação de marketing em sua empresa?

Saber o que é automação de marketing não é o bastante, você também precisa implementar essa realidade corretamente. Assim como deve ser feito na adoção de qualquer outro tipo de solução em sua empresa, você deve avaliar as suas necessidades. Observe os canais de marketing utilizados pela sua marca e busque por oportunidades de melhoria que seriam facilitadas pela automação.

O seu objetivo deve sempre ser o de oferecer possibilidades cada vez melhores ao seu público-alvo. É necessário entender o que ele quer e precisa para ter os meios corretos para fazer essas entregas. Por exemplo, se os seus potenciais clientes querem mais atenção em recomendações de produtos, a automação de marketing pode ajudar a disparar e-mails com ofertas personalizadas.

A automação de marketing é uma forte aliada da experimentação. Realizar testes é essencial para comprovar a eficácia das suas estratégias, e isso é impensável de fazer manualmente. Esse é o caminho para integrar os seus vários canais de maneira inteligente e conseguir mensurar os seus resultados de modo conjunto.

Vamos começar?

Agora que você já sabe o que é automação de marketing e de que meios adotar essa nova realidade em sua empresa, está na hora de iniciar o seu planejamento. Observe quais áreas da sua estratégia conseguem aproveitar esse recurso e descubra de que formas conquistar os resultados que você deseja. Além disso, trata-se de uma tecnologia em constante evolução, portanto, todos os dias podem aparecer novas possibilidades vantajosas.

Conquiste resultados reais e monte uma base sólida de Marketing Digital: baixe o nosso e-book gratuito para iniciantes.

Que métricas de marketing ajudam a melhorar a performance em vendas?

Se você deseja aumentar a sua presença na internet, captar mais clientes e, consequentemente, otimizar os resultados, será preciso compreender, antes de mais nada, a importância de analisar as métricas de marketing que se fazem necessárias para saber se as suas estratégias estão surtindo efeito e gerando mais vendas.

Embora isso pareça um tanto quanto óbvio, o fato é que boa parte das empresas ainda não se deu conta da importância dessa tarefa para o sucesso do negócio. Com isso, observa-se somente uma “fumaça”, ou seja, ações que o divulgam, mas que não dão o retorno que poderiam.

Preparamos este artigo justamente para falar sobre isso. Nele, vamos apresentar as principais métricas de marketing e que devem ser verificadas constantemente para que se possa realmente fazer a sua empresa crescer. Confira!

Total de visitantes

Começaremos então pelo total de visitantes, que nada mais é do que o número de pessoas que chegaram até o seu site. Ainda que considerada uma métrica geral, acompanhá-la é fundamental, visto que ela representa a sua audiência.   

É bem verdade que, sozinha, ela não fará diferença alguma. Porém, quanto mais visitantes você atrair, maiores serão as suas chances de vender: o ideal é que esse número cresça todos os meses, caso contrário, suas estratégias de atração devem ser otimizadas.

Volume de leads

Sem a menor sombra de dúvidas, o volume de leads é uma das métricas de marketing mais relevantes para a compreensão dos resultados. A razão para isso é que esse indicador aponta a quantidade de oportunidades geradas, isto é, a quantia de pessoas que se interessaram pelos seus produtos ou serviços.

Apenas para esclarecer, um lead pode ser resumido como um visitante que concedeu o seu contato em troca de algo que você está oferecendo, incluindo:

  • assinatura de newsletter;

  • materiais para download;

  • pedidos de teste;

  • atendimento de um consultor, entre outros.

Ao gerar um lead, abre-se um espaço de relacionamento para que, no futuro, você possa realizar uma venda, tornando-o, dessa forma, um cliente.

Taxas de conversão

Para entender a relação entre o número total de visitantes e o volume de leads gerados, deve-se verificar as taxas de conversão. Expressa em porcentagem, essa métrica é o que lhe dirá se as suas ações e estratégias de marketing estão gerando um bom número de oportunidades quando comparadas com a quantidade de visitas no seu site.

Custo de aquisição por cliente (CAC)

O custo de aquisição por cliente não poderia ficar de fora. Como o próprio nome já diz, é aqui que você verá quanto está gastando para conseguir um novo consumidor, simples assim.

Supondo que você gastou R$ 10.000,00 em um período de 30 dias e que, a partir desse investimento, foram obtidos 50 novos clientes, pode-se concluir um CAC de R$ 200,00.

Retorno sobre investimento (ROI)

Por último, mas não menos importante, está o retorno sobre o investimento (ROI), a principal métrica a ser monitorada. De forma clara e objetiva, esse é o indicador que dirá se os seus esforços de marketing estão realmente causando bons efeitos.

Para calculá-lo, basta fazer conta: ROI = Receita – Custo do investimento/Custo do investimento.

Por exemplo, digamos que você investiu R$ 5.000,00 e que teve uma receita de R$ 15.000,00. Nesse caso, a conta ficaria:

ROI = 15.000–5.000/5.000

ROI = 10.000/5.000

ROI = 2

Observação: um ROI de 2 representa 200% sobre o valor investido.  

Enfim, essas são as métricas de marketing para ficar atento no que diz respeito à performance em vendas. Analise-as com frequência para que seja possível mudar as suas estratégias a tempo, evitando o desperdício de dinheiro e otimizando os resultados.

E se você gostou deste post, aproveite e confira como fazer um planejamento estratégico digital para a sua empresa!

Quanto custa não investir em inbound marketing?

Se você ainda está arranjando desculpas para não investir nessa nova proposta, chegou a hora de parar. Nós vamos te mostrar o que você está perdendo ao não investir em inbound marketing. Grande parte desses motivos para não apostar no novo marketing é inconsistente e está fazendo sua empresa perder dinheiro. O medo de destinar recursos a um projeto que provavelmente não vai trazer resultado imediato, mas apenas em médio e longo prazos, certamente é um deles, não é mesmo?

Gestores temem que o capital aplicado seja jogado fora e que os resultados nunca apareçam. Não pense como custo, mas como um investimento capaz de potencializar os resultados da sua estratégia de marketing. Primeira página nas buscas orgânicas do Google, diálogo com o público e aumento da base de leads qualificados são apenas alguns dos resultados. Confira!

O prejuízo de não investir em inbound marketing

Caso você pense que não investindo em inbound marketing sua empresa vai apenas deixar de ganhar, está muito enganado. Na verdade, enquanto você não investe no inbound, seu negócio estará perdendo. Para se ter uma ideia do quanto, 93% dos processos de compra começam com uma busca online.

“Ah, mas eu tenho um site institucional!”. Não basta: cerca de 80% dos usuários acham melhor procurar informações sobre um serviço ou produto em artigos educativos e gratuitos (ou seja, em blogs) do que em um anúncio publicitário. Sabendo disso, será que realmente vale a pena continuar insistindo em ações de baixo investimento, mas que quase não impactam no seu faturamento?

Lembre-se de que, na nova realidade do comportamento de consumo moderno, as pessoas estão mais ativas na hora da compra. Uma prova disso é que 94% dos links clicados são resultados orgânicos, e não pagos.

Isso significa que investir apenas em links patrocinados não vai resolver os problemas da sua empresa. É preciso pensar em estratégias de inbound que contemplem SEO, AdWords, conteúdo, redes sociais e por aí vai.

Consequências negativas para a marca

Sem visibilidade no meio digital, sua marca tende a perder clientes em potencial. Plataformas lentas, sem responsividade ou otimização e com conteúdo desatualizado não dão motivos para que os usuários confiem nos seus produtos ou serviços.

Além disso, mesmo que os usuários busquem por palavras relacionadas ao seu mercado, eles não encontrarão sua empresa nos sites de busca. Como resultado, ela perde mercado frente aos seus concorrentes, já que muitos deles perceberam a importância do inbound para os negócios e estão trabalhando em suas estratégias. A desconfiança em relação a essa metodologia de divulgação e venda faz com que você perca vantagem e possíveis clientes.

Impacto nas receitas

Sem uma estratégia digital consistente, seu negócio não consegue gerar leads qualificados e, por isso, não vende o que poderia. A jornada de compra torna-se complicada, você não identifica em que etapa do funil seus leads estão e, como consequência, perde grande parte deles pelo caminho.

Esses pontos impactam na receita diretamente, já que muitas ações acabam sendo completamente ineficazes e drenando o investimento em marketing. Ainda não está convencido? E se dissermos que o custo por lead gerado no inbound marketing é 62% menor do que o marketing tradicional?

Benefícios do inbound marketing para a marca

Diferentemente dos modelos tradicionais de marketing, o inbound permite um acompanhamento eficaz dos resultados de cada ação de comunicação, o que leva à melhoria contínua dos processos, otimização dos recursos aplicados, trabalhos mais focados e aumento no número de vendas.

Imagine um anúncio veiculado na televisão ou no jornal. Você pode ter uma ideia média de quantas pessoas foram impactadas ao analisar a audiência ou número de assinantes, mas não terá a certeza de que todos tiveram acesso aos seus materiais de divulgação.

Por outro lado, o inbound marketing conta com uma série de métricas capazes de avaliar com precisão diversos aspectos de uma campanha. Cliques em um e-mail, número de reações, custo de aquisição de clientes, quantidade de acessos no site, dentre vários outros dados, podem ser medidos.

Essa quantidade de informações permite uma tomada de decisão mais segura por parte da sua equipe de marketing e vendedores. Assim, é possível criar campanhas mais eficientes, solucionar gargalos de produção, reduzir custos de investimentos e aumentar o volume de vendas.

Alcance de público

Conforme já mostramos neste artigo, o perfil de consumo das pessoas mudou com a internet, e as empresas precisam se adaptar a essa nova realidade. Desenvolver ações para site institucional, blog e mídias digitais, além de aplicar técnicas de SEO e SEM, são táticas vitais para alcançar novos clientes.

O inbound marketing permite a criação e a otimização de estratégias que coloquem a sua marca nos canais em que o seu público-alvo esteja. Ele também estabelece um modelo de relacionamento com eles, o que favorece os processos de atração, captação, convencimento e fidelização de consumidores.

Além disso, é possível alcançar as pessoas de maneira mais eficientes do que com a comunicação tradicional. Você já percebeu como anúncios em rádios, TVs e impressos são impostos sem que as pessoas possam dizer se querem ou não ter acesso a eles? No inbound, esse processo acontece de maneira diferente.

Os clientes em potencial buscam pelos conteúdos produzidos pela sua empresa e, posteriormente, fornecem dados para. Assim, além de receber novos materiais, eles permitem que a sua equipe se relacione com eles. Dessa forma, cria-se uma conversa baseada em permissões e interesses.

Eficiência com menor custo

Por fim, o novo marketing conta com um custo de aquisição de clientes menor do que no marketing tradicional. Anúncios em rádios, emissoras de TV, jornais e revistas impressos, assim como produção de outdoors, busdoors, panfletos e flyers têm custo muito elevado, o que onera a comunicação empresarial.

Apesar de exigirem tempo para gerar resultados, as ações online são mais baratas, com maior alcance e melhor mensuração de resultados. Elas podem ser feitas por meio de links patrocinados, anúncios em banners e impulsionamento de publicações em redes sociais, por exemplo. Assim, novos clientes e negócios acontecem com um valor mais em conta.

Fica evidente que, com as ferramentas certas de inbound e o alinhamento da área comercial com o departamento de marketing, a conquista de clientes é mais rentável e eficiente.

Gostou de saber por que investir em inbound marketing? Curta agora a nossa página no Facebook e tenha acesso a outros conteúdos relevantes!

Como aumentar a geração de leads da sua empresa? Saiba aqui!

Uma empresa que não está focada em geração de leads é como se estivesse perdendo tempo na internet. Afinal, a função da sua estratégia deve sempre ser a de trazer negócios. Um site é capaz de gerar muito retorno positivo justamente nesse sentido.

No entanto, você precisa aplicar uma estratégia robusta para ter bons resultados. Isso significa fazer que todos os elementos do seu site e da sua campanha funcionem a favor da geração de leads. Todos os esforços precisam ter esse foco.

Que tal reformular a sua estratégia de geração de leads? Com algumas táticas certeiras, você conseguirá aumentar o fluxo de visitas do seu site e, ao mesmo tempo, transformar essas pessoas em clientes.

Veja a seguir as nossas melhores dicas para melhorar a sua geração de leads:

Crie conteúdo relevante

A melhor forma de atrair visitantes para o seu site e depois transformá-los em leads é por meio de conteúdo de qualidade. Leve em consideração o perfil do público que você pretende atingir e quais são as necessidades dessas pessoas. Ofereça a solução para elas em um blog na forma de guias, tutoriais, posts que tiram dúvidas, entre outros. Quanto maior for a relevância desse material, melhores suas chances de geração de leads.

Simplifique seus cadastros

Analise bem todo o processo que o seu visitante passa até comprar o seu produto ou serviço. Será que não existem etapas demais? Os cadastros precisam pedir tantos dados assim? Lembre-se que o seu potencial lead pode desistir no meio do caminho, então você deve eliminar quaisquer barreiras que possam existir. Dessa forma, suas chances de sucesso aumentam consideravelmente.

Tenha um site responsivo

No item anterior falamos sobre possíveis barreiras que podem fazer com que o seu visitante desista de fechar negócio com você. Algo bastante importante que tem relação com isso precisa ser lembrado: o seu site deve ser responsivo. Imagine que um lead em potencial tenta acessar as suas páginas a partir do celular e tem dificuldades de navegar. Essa pessoa dificilmente voltará para uma nova chance. Garanta que tudo funcione bem em qualquer tipo de aparelho.

Desenvolva fluxos de e-mail marketing

Quem disse que o e-mail marketing está morto? Trata-se de uma ferramenta bastante eficiente e você precisa utilizar também. Crie fluxos de envio automatizado para distribuir o conteúdo que você publica no site e impactar continuamente quem se cadastrou para receber mais novidades da sua empresa. Ao fazer essas pessoas terem um contato mais próximo com os seus materiais, você consegue aumentar sua geração de leads.

Use landing pages para todas as ofertas

Publicou um anúncio no Google que aponta para a home do seu site? Jamais faça isso. É muito melhor para a sua geração de leads ter landing pages especiais para cada oferta.

Assim, o visitante tem um único foco possível, o de converter. Se ele é jogado na sua página inicial, ele pode ficar confuso em relação ao próximo passo e até deixar o seu site. Além disso, a landing page pode trazer mais informações sobre o produto ou serviço, aumentando as chances de conversão.

Tudo pronto para renovar a sua estratégia de geração de leads? Basta aplicar essas dicas que destacamos acima e ficar de olho nos seus resultados. Certifique-se de que o conteúdo produzido consegue atrair o público e possui identificação com ele. Baseie-se em dados concretos para tomar as suas decisões, deixando as suposições de lado. Comece o quanto antes e aproveite os benefícios!

Quer saber mais sobre o que falamos a respeito de e-mail marketing? Então veja nosso guia completo, que mostra o que você precisa saber para começar a usar esse recurso em suas campanhas. Boa leitura!

Como escolher a melhor estratégia de marketing digital?

Novas ferramentas e estratégias de marketing digital surgem todos os dias, mas grande parte delas promete coisas que não cumpre. No entanto, há estratégias bem consolidadas no mercado e que trazem resultados para qualquer modelo de negócio e mercado.

Nesse cenário, muitas empresas acabam apostando em tudo e não gerando os resultados esperados. É normal ter dúvidas na hora de escolher a melhor estratégia de marketing digital para sua empresa, já que somos bombardeados de informações o tempo todo.

Saiba qual o preço de investir em marketing digital

Sua empresa vem realizando ações de comunicação há algum tempo, porém a presença na web está deixando a desejar? O que pode estar faltando para o sucesso das estratégias é investir em marketing digital. Isso porque hoje, com o novo perfil de consumidor que atua na rede em boa parte do tempo, deixar de contar com esse serviço pode significar a perda de uma grande fatia de clientes.